Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe e O presépio

rabiscado pela Gaffe, em 13.12.13

   (O Natal sem avô)

Levou três anos a ser recuperado.

A minha avó, com luvas brancas de feltro, retira dos invólucros as pequenas figuras. Escolheu o móvel japonês lacado com incrustações de madre-pérola, para pousar as relíquias.

Despojou-o. A superfície negra, lustrosa, polida, acolhe as texturas resgatadas das imagens.

Quase três séculos depois, as três figuras abrem-se no esplendor do início.

- Queres ajuda, avó? – Tenho tanto medo de tocar no tempo!

- Quero que retires da caixa mais pequena os querubins.

Os querubins adormecidos. De asas fechadas a ouro folheadas. Um e outro. Medo a medo. Nas minhas mãos o tempo adormentado, entregue devagar a outro tempo.

Inamovível, intocável, imperecível a Senhora inclina o rosto de marfim para a criança que sustém ao colo. Senhora de marfim e talha de ouro. Senhora de José, ao lado, no lado que os protege.

Eu fico muda.

- Pousa-os, minha querida. Pousa os teus anjos aos pés de quem quiseres.

 

Aos teus pés, avô.

O dormir do Tempo e o dormir da Morte aos pés do meu avô fecharam asas.

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

Gavetas:





  Pesquisar no Blog






Copyrighted.com Registered & Protected 
JIFR-J5MR-Y1XR-YACD