Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe de Joana Amaral Dias

rabiscado pela Gaffe, em 14.09.15

JAD.jpg

Quando pelos olhos da Gaffe passou a fotografia de Joana Amaral Dias, grávida e apenas com uma mochila em forma de homem às costas, pensou que, por muito desesperadamente que se queira, não se consegue ser Demi Moore, sobretudo quando existem fotógrafos que não estudam devidamente a luz que incide na cara dos modelos.

A Gaffe lamentou que a mochila de Joana Amaral Dias estivesse fechada, mas compreendeu a necessidade que esta rapariga esperta sentiu de apenas partilhar publicamente a sua felicidade bojuda e não a pilita do namorado. A Gaffe é benevolente e acredita que por vezes a alegria é como um sapo. Beijámo-lo, mesmo sabendo que não traz um príncipe dentro.  

 

Esqueceu depressa a barriga, embora mais lentamente o adereço, ambos esbardalhados numa revista que pertence a outra rapariga muito esperta que vem provando que se consegue atingir um enorme êxito profissional e uma gigantesca popularidade, mantendo inabaláveis os princípios, sobretudo o da deselegância.

 

Joana Amaral Dias acabou a cavalgar ondas de indignação próximas das que se vão erguendo a propósito dos refugiados.

Irritada com a incapacidade desta gentalha parva de ler nas entrelinhas - uma rapariga grávida é muito susceptível -, Joana Amaral Dias decide fazer um desenho e aparecer de novo, agora com um soutien atlético e uns calções ciclistas, mostrando outra vez a barriga, agora rabiscada com slogans giros.

A barriga é dela, afirma o riscado.

A Gaffe nunca duvidou, embora a moçoila a tenha tornado pública. É dela a barriga, as mamocas, as coxas e aquela mochila muito interessante que desapareceu entretanto, mas que se subentende ser também propriedade da indignada.

 

Fica-nos portanto a revelação!

A foto não foi um capricho, um narcisismo tonto, um vedetismo parolo, a felicidade de se sentir grávida e a vontade de as tornar públicas - à felicidade e à barriga - ou outras hipóteses que convém negar. A fotografia é afinal um panfleto feminista, embora sem qualquer intuito político.

Joana Amaral Dias segue apenas a linha John Lennon – muito peace, love and freedom -, embora a sua Yoko seja ainda mais peluda.

 

Joana Amaral Dias deixou-se fotografar nua em nome da Mulher.

 

Convém que a Mulher seja proclamada e panfletada por uma rapariga gira e, pese embora os borbotos de rímel desta menina, é preferível a sua nudez à de Assunção Esteves ou à de Heloísa Apolónia.

A Gaffe fica muito contente por se ver defendida desta forma tão altruísta e só lamenta, sinceramente, que o namorado se tenha ausentado deste último manifesto.

Seria muito interessante que surgisse agora nu com um rabisco púbico que complementaria o slogan inscrito na barriga bojuda da sua companheira e onde seria agradável ler:

 

E esta pila também.

 

Dava à Mulher um ar tão poderoso!

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Gaffe no blog

rabiscado pela Gaffe, em 14.09.15

Magda.jpg

A minha querida Magda decidiu presentear a Gaffe com o privilégio de ocupar um cantinho do seu blog.

Esta rapariga tímida espera a vossa indulgência e como seria de esperar a vossa paciência.

É um prazer, minha querida Magda, estar pertinho de ti.

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

Gavetas:


foto do autor








Copyrighted.com Registered & Protected 
JIFR-J5MR-Y1XR-YACD