Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe queixosa

rabiscado pela Gaffe, em 05.02.16

1.33.jpg

José Eduardo Martins decide não se queixar mais, mesmo que a sua casa de férias volte, pela quinta vez, a ser assaltada.

 

A Gaffe compreende que a situação tenha sido kafkiana e decide também não comparecer a uma qualquer diligência relacionada com assaltos, seja ela onde for. Não por solidariedade com este querido; não porque nas esquadras há ratos e aranhas; não porque uma menina de boas famílias não repare nas convocatórias das Instituições; não porque deteste o convívio com fardas puídas, mas porque vai estar ocupada a dar muito tau-tau a assaltantes como o apanhado na imagem.

 

Um assalto em condições requer do assaltante qualidades que a Gaffe não considera agradável partilhar com ninguém. Nos casos como o ilustrado, a Gaffe gosta de fazer justiça pelas próprias mãos.

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Gaffe e os caídos

rabiscado pela Gaffe, em 05.02.16

caídos.jpg

Como é certo e sabido, espalhado por todos os ventos e por todos os lados, não se deve bater num homem caído. Há razões diversas para não o fazer, todas elas com um cariz humanitário, ético, cultural, religioso, indiscutível.

No entanto, é esquecida uma minúscula justificação para salvar da nossa pancada aquele que caiu: Pode levantar-se depois de batido e fazer-nos descobrir que é indiscutivelmente mais forte do que nós.

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Gaffe por escanhoar

rabiscado pela Gaffe, em 05.02.16
(Paul Newman)

A Gaffe tem de confessar: caras barbudas provocam-lhe arrepios muito pouco próprios de uma rapariga recatada, embora seja necessário mais do que o desgrenhado Gandalf ou o ternurento Zach Galifinakis para que esta destravada suspeite que 10 dias bastam para transformar um idiota num possante e irresistível lenhador barbudo.

 

A Gaffe lamenta que, de acordo com o The Scotsman, 98% da lista dos homens mais ricos da Forbes estejam bem barbeados, porque talvez seja por isso que ainda se continue a aliar a barba a uma classe trabalhadora, rude, suada, demasiado exausta e empobrecida ou então a vadios e românticos flaneurs sem poiso ou ninho, mas fica mais tranquila quando os amáveis investigadores Barnaby J. Dixon e Paul L. Vasey declaram que os homens com barba não estão associados, neste momento, a qualquer marginalidade ou franja social menos dignificada ou mais desfavorecida, afirmando que são os homens de barba a possuir neste momento maior status social do que os homens bem barbeados.

(Christian Göran)

A verdade é que a barba, em tempos idos sinónimo de prestígio ou de poder, de honra, de sabedoria, de maturidade, de nobreza, e de virilidade, tem um longo caminho a percorrer para recuperar sua antiga glória. Não houve um presidente dos EUA com uma barba digna de menção desde 1893 e o tonto, enfraquecido e alquebrado Al Gore de 2001, imitando um lenhador de colarinho branco, deu apenas razão aos políticos que identificam pêlos faciais com fracasso e vergonha, embora o consultor da campanha Jeff Jacobs sugira que se John Kerry tivesse barba, talvez não fosse tão fácil para a campanha de Bush ter conseguido pintar o adversário como um pusilânime vagamente aristocrático vira-casacas.

(Ricardo Baldin)

O psiquiatra Allan Peterkin, um querido que desatou a escreveu livros sobre barbas - já lá vão três -, sugere que a partir de um ponto de vista evolutivo, os macacos machos projectam as mandíbulas porque parecem desta forma mais poderosos quando encontram inimigos. A barba amplia a mandíbula e o homem com mais folículos é geralmente lido como mais masculino.

A Gaffe acha um mimo esta razão! Mas acredita haver outras bem mais prosaicas e menos primata ancestral.

(Fabian Schweizer)

É provável que uma rapariga mal intencionada suspeite que há algo a esconder sob aquela pilosidade impecável, mas, ao contrário do que imagina, sob a densidade atraente destes bosques bem tratados existe uma pele suave, perfeita e livre de defeitos. Acne e foliculite - uma inflamação absolutamente maçadora do folículo de cabelo - são muitas vezes o resultado do uso de navalhas que podem irritar a pele. As bactérias são criaturas horripilantes também nestes casos. A barba conserva o óleo de hidratação natural do rosto e protege-o de ventos amargos. Não há vermelhidão ou secura numa face peluda.

.

A barba é uma das fontes da juventude. De acordo com uma pesquisa recente da Universidade de Southern, Queensland, a barba absorve até 95% dos raios UV minimizando o risco de melanoma e atenuando o envelhecimento provocado pela oxidação da pele. Manter a barba é criar um filtro solar natural e atrasar o aparecimento das famigeradas rugas.   

Uma pesquisa realizada no Verão passado constatou que caras sombreadas por uma barba parecem oito anos mais maduras, mas não mais envelhecidas, do que aquelas que são escanhoadas. Quando a um grupo de mulheres se mostrou uma foto do príncipe William, de 31 anos, com barba, todas as raparigas lhe atribuíram uns belíssimos 36. Sua Alteza parecia mais madura, mas sem o ar cansado ou prematuramente envelhecido de quem já viveu mais do que conta.

.

A Gaffe corre o risco de apelar a um cliché, mas um estudo publicado na Evolution and Human Behavior prova que a barba torna os homens reconhecidamente mais masculinos do que realmente são, sobretudo se a barba tiver 10 dias, tempo necessário para que atinja o comprimento que a torna mais atraente para as mulheres.

 

Talvez seja por causa dos espessos e barbudos rostos de homens como Ben Affleck, Sean Connery ou George Clooney; talvez seja por causa da crescente popularidade do desalinhado, mas o certo é que os barbudos continuam em ascensão e cada vez mais homens procuram complexos vitamínicos e até mesmo medicação que estimula a produção de diidrotestosterona, provocando um extraordinário aumento de vendas  - 47% este ano - de aparadores de barba na Amazon.co.uk.

(Gary Cooper)

Seja como for, a Gaffe pode andar na rua segura pela mão de um barbudo, numa tenebrosa noite escura, sinistra e aterradora. Um estudo publicado em 2011 na Ecologia Comportamental revela que os homens com barba são mais intimidantes e afastam com maior facilidade as ameaças do que um escanhoado rigoroso. Nenhum desbarbado ousará transtornar uma rapariga esperta que usa a tiracolo um matulão repleto de picos na cara.

 

Há que rentabilizar todos os espinhos que a rosa da vida contém.  

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)


foto do autor








Copyrighted.com Registered & Protected 
JIFR-J5MR-Y1XR-YACD