Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe psicóloga

rabiscado pela Gaffe, em 03.08.16

TV.gif

 A Gaffe está surpreendida com o linchamento público de Quintino Aires.

 

Irrita imenso perceber que quando uma criatura diz o que pensa com a perspicácia desempoeirada, com a argúcia e objectividade construídas com o saber e com a experiência deste emérito psicólogo, é trucidada por uma matilha de esfomeados.

Perante Quintino Aires somos todos como o Velho do Restelo. Tentamos impedir que as naus abram caminho na lauta ignorância do populacho. Por muito que a barcaça abane, seria de esperar que o farol brilhasse apontando o rumo e proclamando sem teias ou véus os nojos de gentalha que nos enche os jardins dos hospitais quando um dos membros é internado e que nos polui com ossos de frango e cascas de bananas as gardénias em flor e a relva aparada na véspera.

 

Meu querido Quintinito - permita que o trate assim, tem mais salero, - o menino tem toda a razão e se mais houvesse sua seria. A ciganada é propensa a tráfego de droga, a mendicidade, a gatunagem e - livre-nos Deus - bate nas pessoas a troco de algumas migalhas. Não se sabe vestir – o look hippie-choc nunca foi tendência digna de gente de bem, - e lê a sina – pormenor que o menino faz muito melhor e de um modo obviamente profissional quando nos deslumbra com as suas análises a concorrentes com cérebros enfiados no rabo da Teresa Guilherme ou analisa de modo profundíssimo e altamente qualificado casos que o Goucha vai desenterrar nos esgotos da miséria humana e que aparecem documentados num slide e num slogan pregado na lapela da falta de ética.

 

Meu querido Quintinito, a Gaffe lamenta apenas que não tenha unido às características tão bem enunciadas destas gentalhas horrendas, o facto de serem POBRES. São gentes pobres e não adianta referir a chuto de bola o Quaresma, porque ser pobre também é vestir uns calções pretos pelo joelho, uma camisa estampada e justíssima, desenhar palermices no cabelo e chegar a um evento nestes preparos e ainda por cima acompanhado por uma senhora muito apertada, que dobra o joelhinho e levanta o pé quando é fotografada e, miséria, com um cabeleireiro de guetho.

Não tema represálias desta gente perigosíssima. Os ciganos também são muito supersticiosos e dizem que não se aproximam de sapos. Pode portanto ser sincero e continuar a deslumbrar-nos com os seus poderosos comentários.

 

A Gaffe deve no entanto anotar que não simpatizou ao ouvi-lo dizer que fazer sexo com animais aumenta a ligação entre o ser humano e a natureza.

A Gaffe desconhecia que o menino vive numa quinta muito inclinada a místicas comunhões com o Todo Natural e compreende as suas elevações e flexibilidades ecológicas, mas confessa que ficou um bocadinho incomodada tendo em conta que o rapagão que a acompanha é engenheiro agrónomo, vive no Minho - província infestada de bicharada - e tem uma plantação de bois e de vacas. Sabe, para seu descanso, que o rapagão é um cavalheiro e que não se envolveria com nenhuma cabra ou nenhuma vaca sem pelo menos as levar a jantar e a um desconserto e a um concerto do Libarece - ao contrário de imensos ciganos, - mas, como referiu, a celebração das nossas origens é sempre um evento a que raros faltam. Todo o cuidado é pouco. Estamos descansadas a ler a Vogue e PUMBA! somos traídas com uma porca, uma vaca ou uma cabra - não faz ideia como isto é recorrente!  A Gaffe tem apenas de se lembrar que deve afastar de si a Chihuahua que lhe ofereceram. A bichinha é ainda muito jovem e pura e a Gaffe receia que o menino aproveite para tratar, como disse e muito bem, a patologia social que é ser-se virgem, afastando dessa forma prejuízos para a saúde pública.

 

A Gaffe congratula-se ainda por o ouvir a proibir ou a desaconselhar as mamãs a ministrar aos rebentos o que foi prescrito pelos médicos. Haja bom senso! Haja contenção! Afinal basta o Quintino Aires para nos provar que a falta de medicação na infância, é perfeitamente capaz de produzir psicólogos.

 

Querido Quintinito, o menino persista. O menino apareça. O menino continue. O menino comente. Vai ver que se transforma a muito breve prazo numa pequenina espécie de Trump da psicologia.    

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)


foto do autor








Copyrighted.com Registered & Protected 
JIFR-J5MR-Y1XR-YACD