Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe grisalha

rabiscado pela Gaffe, em 17.02.17

 

Ao deparar com meninas telegénicas e as suas constantes preocupações em publicitar a cor do cabelo patrocinado por uma marca de tinta, trepam-me à memória, espalhando-se e contaminando o meu dia, as cabeças de Fernando Ruas e de Victor Constâncio e permito-me concluir que se às mulheres é reconhecido o direito de mudar a cor da juba, já aos homens o caso adquire tons mais complicados.

 

As cabeças de Fernando Ruas e de Victor Constâncio, por exemplo, parecem ter sido dominadas por uma aranha negra, velha e outrora peluda ou, em alternativa, terem um rato morto a servir de cabeleira.

 

Admitamos que aquilo é deprimente.

 

Desenhar o penteado com um marcador preto produziria o mesmo efeito. A tinta tinge o couro cabeludo e, no caso do primeiro, apeçonhenta o bigode. Ficamos perante dois casos de toucas de banho incorporados, negras, funestas e retintas e nitidamente falsificadas, como se os chineses tivessem plagiado a estrutura capilar e a pilosidade de um jovem latino e tivessem colocado o produto à venda nos mercados e nos átrios dos municípios.

 

É um erro crasso confiar num homem que pinta o cabelo daquela forma e acredita, patético, que consegue convencer os pares e os parceiros com o negro daquilo que outrora foi cabeça. É tão idiota como acreditar nos que arrastam de forma confrangedoramente dolorosa - uma dor de alma - os fios da nuca para a frente da testa, criando uma estranha e assustadora arquitectura pilosa que lembra um ovo de extraterrestre num filme qualquer de ficção científica de terceira categoria ou pornográfico, onde não há categoria nenhuma.

 

As meninas podem tingir-se com a cor cereja, porque há sempre a possibilidade de nos distrairmos com os decotes e com os vestidos dois números abaixo do que seria necessário para não ficarem comprimidas, mas um homem não podem usar a porcaria que as raparigas publicitam sem correr o risco de passar por idiota, desonesto, inseguro e incompetente.

 

Há incomparavelmente mais probabilidades do cabelo grisalho, ou mesmo totalmente branco, poder ser o mais deslumbrante e fascinante convite à aventura e ao embarque naquilo que é o transatlântico mais poderoso do universo: a maturidade consciente e assumida do homem por quem perdemos bússolas e astrolábios - não convém contudo generalizar, porque nos lembramos de repente do engenheiro Sócrates.

 

Os exemplos que ficam ilustram de forma inequívoca a tese defendida. Embora, diga-se, o primeiro faça parte do elenco de uma série ligeiramente maçadora, situada no passado e o segundo tenha um passado conturbado e controverso, são os dois espantosas criaturas susceptíveis de povoar os sonhos menos brancos de uma rapariga com a cabeleira cor de cenoura.

 

Nas fotos - John SlatteryAiden Shaw

 

 

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Gaffe tem visitas

rabiscado pela Gaffe, em 17.02.17

711.jpg

 

Chegou ontem ao fim do dia a melhor amiga da minha irmã.

 

Deparo-me a observar com minúcia as duas mulheres e percebo que o abrandamento dos gestos da anfitriã é propositado. Mistura-os com o silêncio cúmplice que se imiscuiu entre as duas e fá-los pesar sobre os outros.

São dois animais atentos. Vigiam-nos através desta espécie de mutismo claramente controlado pela minha irmã que domina a relação. Basta a lentidão do movimento com que enrola nos dedos as fiadas de pérolas que contrastam como um insulto com o azul-cobalto do vestido, ou o modo como aceita que a visita lhe abrase o cigarro como se aceitasse uma oferta pagã, para que se perceba o jugo.  

 

Há uma decadência subtil imersa em luxo que me fascina e me neutraliza, como se na minha frente um inviolável mistério me confrontasse com a nudez quase agressiva mas impossível de decifrar das duas mulheres.

 

Uma nudez coberta de gestos lentos e de cigarros iluminados. Uma nudez esguia e loira que se move nas torções de um colar de pérolas com que estrangula a mutabilidade das cumplicidades.        

 

Uma outra nudez que traz toda a Renascença nos cabelos. Andamos de gôndola branca sob colchas escarlate das varandas sempre que nos olha agudizando a densidade da beleza com a eterna suspeita de incesto a pairar sobre ela.

 

Chegou ontem ao fim do dia a melhor amiga da minha irmã.

 

Exilada em Florença, branca, gelo branco, recolhe as mais dolorosas rosas das mãos dos homens morenos que despreza enquanto na cama antiga de lençóis com rendas o esguio e pálido irmão, nu, longe adormece.

 

Há segredos pousados no pescoço dos deuses que fazem da vida um perfeito romance.

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

Gavetas:





  Pesquisar no Blog






Copyrighted.com Registered & Protected 
JIFR-J5MR-Y1XR-YACD