Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe na cidade

rabiscado pela Gaffe, em 02.03.17
 

Esta cidade é um homem nu em desleixo premeditado, pousado no rio como se estendido numa cama de opalas.

Esta é a cidade que me prende, que me deixa de olhos atados e que me sussurra as razões das minhas algemas feitas ruas, rio e casario.

Esta é a cidade do adeus vagaroso, porque lentas devem ser aqui as partidas para que a memória retenha e resguarde todos os momentos em que o granito, a água e o ferro nos entram na alma que percorre as vielas do sonho, mesmo as que sabemos não passar de cinza.  

 

Foto - Armindo Lopes

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Gaffe usa calças

rabiscado pela Gaffe, em 02.03.17
.

A perspectiva misógina, machista e beata é sempre suportada pelo estereótipo e contém inevitáveis preconceitos.

Sendo a mais básica e sintética formulação do pensamento, o estereótipo - em consequência falso e enganador -, é também a mais fácil forma de comunicação de massas. Propaga-se com facilidade, endurece facilmente e permanece como um gato morto tombado na mesa do jantar. Ninguém o remove porque toda a gente espera pela chegada do messiânico mordomo que servia D. Sebastião.

 

A ligação que é feita entre o comprimento da saia de uma mulher e a sua personalidade é das mais enraizadas tolices de que há memória - uma memória de passado longo e com um futuro promissor -, mas é também e ainda o mais rápido modo de formular um julgamento acerca do mistério feminino.

 

Apanham-se as migalhas quando o banquete cobiçado é interdito.

 

Para uma mulher inteligente esta idiotice é divertida e aumenta-lhe as hipóteses de brincar com toda a espécie de tolos bem-parecidos. Permite-lhe ser, em cada saia, a mulher que um palerma qualquer deseja no escurinho dos seus estereótipos. 

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

Gavetas:

Os lápis de cor

rabiscado pela Gaffe, em 02.03.17

Na semana passada a minha professora chamou a mãe do Firmino à nossa escola. A mãe do Firmino meteu baixa que é uma coisa pequena e veio ver o que era. A minha professora mandou-a sentar ao pé dela mesmo à nossa frente mas de lado e disse-nos que tinha sido o Firmino a roubar os lápis de cor à Liliana e que era bom que toda a gente soubesse qual era a raça do cachopo. A mãe do Firmino ficou como os tomates do meu primo Zeca que são muito vermelhos e brilhantes e desatou a chorar que nem parecia uma pessoa crescida. A gente grande chora para dentro que as lágrimas depois de velhas só caem no coração. Depois a mãe do Firmino levantou-se e foi ter com o Firmino que está na última carteira mesmo ao pé da janela porque é o único que diz que não tem frio. Agarrou-lhe na mão e foi-se embora. Nem disse bom-dia que é muito educado dizer-se quando vamos embora. Também podemos dizer adeus mas isso é só quando temos lágrimas grandes na garganta quase a cair no coração e já não vale a pena dizer bom-dia porque é sempre noite. Eu sei que o Firmino vai apanhar uma tareia e depois vai dizer que caiu pelas escadas abaixo ou que tropeçou na lenha e raspou a cara nas farpas. A gente sabe e já não liga. O meu pai disse que só se perdem as que caem no chão. Eu não me importava nada que as que caem no chão não nos apanhassem já lá deitados mas a gente não pode ter tudo o que quer. O Firmino se queria ter lápis de cor devia ter pedido ao padrinho dele ou então que pintasse o sol com a tinta das mimosas esmagadas misturada com cuspo. Não fica muito bem mas dá para disfarçar e mais vale pouca coisa do que nada como diz a minha avó. O céu deixava em branco a fazer de conta que são nuvens. Não se podem roubar coisas para dar cor ao nosso céu. Eu acho que têm de ser nossas. A Liliana ficou quase uma semana sem os lápis e levou duas estaladas por não apresentar os desenhos em condições. Foi por isso que estava toda contente por saber que o Firmino ia apanhar das boas no lombo. Foi bem feito para ela o Firmino ter aparecido sem uma negra.  Acho que foi a mãe do Firmino que se meteu à frente e disse ao Firmino para se esconder depressa e depois tropeçou. Eu sei disto porque a minha irmã viu a mãe do Firmino e disse assim pelo meio dos dentes olha outra que também cai muitas vezes. A mãe do Firmino aleija-se muito. Eu gosto muito de pintar o céu de branco.

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)


foto do autor








Copyrighted.com Registered & Protected 
JIFR-J5MR-Y1XR-YACD