Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe de Samuel Úria

rabiscado pela Gaffe, em 25.05.17

GENE TIERNEY.gif

 

Não sou fã da música de Samuel Úria. A culpa é toda minha. O meu espectro musical é pindérico e se realmente existe é da responsabilidade de esforçados amigos que insistem em preencher a minha inépcia musical encharcando-a com o que consideram de estupenda qualidade.

Mesmo assim, acabo a entregar importância à letra ou ao poema que é musicado, descurando por completo a melodia que o acompanha.

 

Exceptuando Wagner e Rachmaninov, apenas porque o meu avô os ouvia incessantemente, a música nunca fez parte das minhas horas, porque tenho o vício de as preencher com pessoas. 

Sou uma rapariga sem banda sonora.

 

É previsto, em consequência, não falar de Samuel Úria.

Há no entanto umas preciosidades que Samuel Úria nos entrega de quando em vez e que me conquistaram no primeiro encontro. 

 

As crónicas.

 

Podem ser encontradas na página sapo.pt - opinião & blogs - e são sempre extraordinárias, inteligentes, oportunas, povoadas de ligações que surpreendem, imprevisíveis, inesperadas, contundentes, articuladas de um modo fascinante que impelem o leitor a deslizar no texto sem qualquer atrito, fluindo até ao fim que nos parece sempre deixar saudades.

 

Samuel Úria é exímio neste registo e domina por completo a difícil arte de comunicar sem parecer que fica verde com o esforço, ou que nos deixa da mesma cor ao lê-lo.

 

O rapaz pode musicar as crónicas que escreve. Eu vou ouvir e comprar o CD.

 

Na foto - Gene Tierney

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)





  Pesquisar no Blog






Copyrighted.com Registered & Protected 
JIFR-J5MR-Y1XR-YACD