Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe e o Ken

rabiscado pela Gaffe, em 20.04.16

 A Gaffe não simpatiza com os metrossexuais.

 

Não é de todo agradável perceber que o rapaz que lhe prometeu no dia anterior viagens alucinantes pelo universo da masculinidade mais renhida e empedernida, lhe surge na manhã seguinte usando os cremes que lhe surripiou, escancarando as portas do armário onde se escondiam da demanda sorrateira do patife.

 

Uma rapariga fica sempre amorosa enfiada numa banheira de espuma, el cuerpo caliente, um dolce farniente sem culpa nenhum, com duas rodelas de pepino cravadas nas olheiras e a cobri-lhe a face uma pasta esverdeada que a torna, ainda que temporariamente, o Fantasma da Ópera.

Ao som de Vivaldi, a Primavera dos unguentos, das pastas, dos óleos, dos cremes, das essências, das loções, dos hidratantes, dos esfoliantes, dos depiladores, dos amaciadores, dos condicionadores, dos rejuvenescedores e de todas as outras dores que nos arrancam o tempo a pinças e tiras de cera quente, é sagrada. Jamais abdicaremos do nosso estético intervalo masoquista.

 

Não é contudo muito agradável apanhar logo pela manhã desprevenida  - em que é suposto o pequeno-almoço ser servido na cama por um matulão com a barba por fazer, de calças de pijama e tronco nu, que não se esqueceu de lavar os dentes antes de acordarmos e depararmos com esta cerimónia com um travo cliché - o susto tenebroso de termos ao lado a rígida, hirta, tesa, petrificada e esquálida face de um homem que se lembrou de estucar a cara com os cremes que usamos no aconchego da nossa mais esconsa intimidade e de vazar os olhos com as rodelas de algodão embebidas em essências que prometem a aniquilação de todas as rugazinhas que trazem pés.

Não é nada encantador, sobretudo se pensarmos que, de acordo com a Lei das compensações, se rígida está a cara do rapaz, solidificados os cremes hidratantes, é limpo que outras miudezas ficam frouxas.

 

Depois, é um desalento insípido uma rapariga ir de encontro aos peitorais de um rapagão sem que o embate seja amortecido por uma discreta e subtil almofada de pêlo ou pensar, no abrigo de um sono adivinhado, que as pernas masculinas onde se enrosca estão melhor depiladas do que as dela. A destruição do delicioso atrito causado pelos pêlos masculinos no veludo da nossa pele macia e depilada deveria ser excomungada ou exorcizada pelo Papa, repudiada pelo Dalai Lama e condenada publicamente pela Isilda Pegado - e a barba crescida não conta como atenuante.  

 

A Gaffe lamenta a ensandecida fúria, a cruzada destruidora, a guerra aberta travada nos campos de batalha de azulejo e mármore - de Carrara ou daqui perto - dos WC das suites masculinas, contra toda a pilosidade que subsiste. Perdoa aos pecadores o desertificar, o desbravar, o arrotear, o desmoitar, das costas - não vá pensar-se que gosta de peluches, - mas não absolve os homens que a fazem pensar que acordou com o Ken XL enfiado na cama.    

 

Na foto - Juan Betancourt - Tom Ford for men

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Gaffe básica

rabiscado pela Gaffe, em 15.02.16

Uma rapariga  não precisa, todas as manhãs, de perceber que a vossa vida, rapazes, saiu directa das páginas do KamaSutra ou é apenas um folheto de Carnaval ou um pindérico romance de cordel.

As vossas olheiras, os vossos papos, as vossas manchas e maleitas faciais, as vossas borbulhas, os vossos lanhos labiais e outras pequenas mazelas, não nos deixam entusiasmadas. Mesmo aquele aspecto desregrado, normalmente acompanhado de um sorriso patético, de quem não dormiu por ter estado ocupado em manter acordada a companhia, não é, de todo, atraente para uma rapariga que começa a debicar o seu croissant.

 

Os portugueses são demasiado tímidos e inibidos - a Gaffe hoje está tão benévola! - e ainda consideram embaraçoso perguntar à menina do Shopping pela secção onde se podem encontrar com o creme hidratante ou com o pincel que lhe atenuará os pântanos negros que trazem debaixo dos olhos. 

 

Meus caros, existe no mercado uma quantidade inimaginável de produtos dispostos a tentar transformar-vos em quotidianos, diários, modelos da Vogue, em todo o esplendor de uma página central.

Se fosse patrocinada, a Gaffe aconselharia, como seria evidente, Dior ou, mais económica, toda a gama Jean Paul Gaultier - Gaultier também sabe ser eficaz com discrição, reserva e tino, mas esqueçam-lhe os perfumes, sim? -, que abrange, atenua e remedeia, com uma eficácia transbordante, toda a parafernália de maleitas que nos maça e arrepia - as borbulhas lunares são horripilantes e espremem todas as vossas hipóteses de dormir acompanhados.

Sejam corajosos e arrisquem!

 

Perguntam os curiosos porque decidiu a Gaffe ilustrar o que diz com um rapazola pestanudo.

Há duas razões:

1 – Como não parece provável que o que quer que seja vos transforme neste petiz deslumbrante que sugere ter saído de um filme erótico - e a Gaffe só vê as promoções -, não parece fácil encontrá-lo numa das esquinas das nossas vidas.

2 – Descansamos finalmente os olhos e preparamo-nos corajosamente para vos entregar o lenço de papel perfumado com que deveis espremer a espinha purulenta que vos cresceu na asa do nariz.

 

A Gaffe não simpatiza com aquilo a que chamaram metrossexuais e não a fascinam os posteriores ubersexuais. É-lhe desagradável beijar um homem que traz na boca o sabor do seu bâton e que usa e abusa do seu nécessaire, mas o esforço que leva um rapaz a levantar-se uma hora antes do acordar da princesa, para a extasiar com um belíssimo aroma a sabonete e um hálito de prados paradisíacos, tem por certa a recompensa.

 

Não acordem como são. Acordem-nos sempre melhor.   

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Gaffe esclarece

rabiscado pela Gaffe, em 31.07.14

Tendo em conta a confusão patenteada pela amiga, a Gaffe decide esclarecer de modo simples a diferença entre retrossexuaismetrossexuais ubersexuais (espécie saída do exagero dos segundos que cuidam da imagem como quem trata o serviço de jantar da rainha Vitória herdado pela avó).

 

Os ubersexuais, que se seguiram aos metrossexuais e que com eles partilham pontos em comum que já toda a gente sobejamente conhece e enjoa, são um nicho controverso e antagónico que, como parece lógico, é uma reacção mais ou menos exagerada ao modo como é delicadamente encarado o corpo masculino pelos seus antecessores.

 

Os retrossexuais aparentemente são uns javardos deliciosos. Estão-se borrando - a Gaffe receia que literalmente - para a imagem depilada dos anteriores e desprezam qualquer unguento ou creme ou seja o que for que cheire a alfazema ou a aloé com que os primeiros untam o corpo até se escorregar na calçada.

 

São adeptos do desporto e não se incomodam com uma pitada de violência no meio do jogo. São abrutalhados, grosseiros, rudes e fazem xixi nas árvores. Barbeiam-se com uma face de mato e tratam as coisas como deve ser, ou seja, acabam por ser educados como os velhos cavalheiros do passado.

 

Há outras características que podem ser conhecidas com uma breve pesquisa no Google.

 

A verdade é que a Gaffe se identifica muito mais com este tipo de homem do que com os melados e picuinhas que conhecem todas as perfumarias da cidade e todas as marcas de cosmética ao dispor. Sempre lhe pareceram uns idiotas chapados que não perdem uma ocasião para debater os prós e os contras de uma depilação a laser com o mulherio da vizinhança.

 

Podem ser uns génios, mas a Gaffe acredita que a genialidade perde pouco tempo com o acerto das sobrancelhas ou com o corte em triângulo rigoroso, e devidamente aparado, dos pelos púbicos.

 

A Gaffe é preconceituosa. Também tem em comum esta pequena inconveniência com os retrossexuais.  

 Foto - Clint Eastwood por Bill Eppridge

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)


foto do autor




  Pesquisar no Blog






Copyrighted.com Registered & Protected 
JIFR-J5MR-Y1XR-YACD