Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe com um Reality Show

rabiscado pela Gaffe, em 12.03.19

Reality show

 

A Gaffe ainda não se lambuzou com os dois novíssimos bombons das televisões privadas que estão a fazer com que quem come e quem não come - e sobretudo quem diz que nunca comerá e passa o tempo todo a mastigar -, parta os pratos, rasgue vestes com os garfos e fique careca de tanto arrancar à faca todo o cabelo indignado.

 

A Gaffe ainda não teve tempo para espreitar o que se passa. Sabe apenas que há estrume, pois aquilo tem agricultura, e sabe que há meninas - a palavra adquire neste contexto valores semânticos curiosos.  

 

Esta rapariga esperta, com o objectivo de aumentar as suas audiências, decidiu acompanhar os tempos que correm e criar uma pequena rubrica que contará com a contribuição preciosa de quem também não lê, de todo, estas porcarias:

 

Fazia-o à primeira vista

 

Minhas amigas, a Gaffe está pronta a receber os concorrentes que cada uma está disposta a patrocinar e arranca desde já com o primeiro - um canhoto, convém sublinhar, só porque sim -, que, pertencendo ao animatógrafo, pode perfeitamente inspirar e expirar o vosso voto. Aspirar, arejar, sacudir e dar ao ferro.  

 photo man_zps989a72a6.png

A Gaffe arejada

rabiscado pela Gaffe, em 12.03.19

ar fresco (2).gif

A Polícia Judiciária de Coimbra deteve uma funcionária da Segurança Social que inventou cerca de 100 grávidas para se apropriar do abono de família pré-natal. Com o esquema, a senhora ludibriou a maioria dos centros distritais da Segurança Social do país e, entre 2014 e 2018, deu um desfalque ao Estado de mais de meio milhão de euros.

 

A Gaffe acaba de saber que os cerca de 600.000 euros desviados são irrecuperáveis pois que foi tudo estourado em roupa.

 

A Gaffe considera absolutamente divinal ir atender pobres e desempregados, coisas incapazes que usufruem daquele estranhíssimo rendimento social de inserção e outras gentes que arrepiam só de pensar, de capeline Chanel, vestido Dior e sapatos Prada a fazer pendant com a carteira Louis Vuitton.   

 

A Gaffe acha maravilhoso ter de enrolar a manga do vison YSL quando há que carregar no botão do intercomunicador para numa voz Moschino murmurar:

 

- Número 599.999 ao único chic que existe na pocilga.

 

A Gaffe pensa ser deslumbrante desfilar pelos corredores pejados de gente miserável ofuscada pelo Valentino, Armani, Gucci, Micaela de Guimarães - uma pequena burla que vitimiza toda a gente, mas que se disfarça com um Cerruti em cima -, alternando o outfit como quem muda de Givenchy.    

 

A Gaffe considera admirável que num país onde os desfalques pindéricos de meio milhão de euros são utilizados para comprar chalets, Porsches, Macintoshes para os piquenos, toneladas de Bijou Brigitte, resmas de Parfois, milhões de Onofre, centenas de Bimba e Lola, T1 para as amantes, com piscina - os apartamentos e as amantes -, férias em Albufeira, fatos da H&M e saia-e-casaco da Massimo Dutti, haja alguém sensato, glamoroso e com um sentido de humor absolutamente ímpar, que esturrica tudo em altíssima costura e vai laurear a pevide para dentro de um guichet.

 

Uma autêntica lufada de ar fresco.

diva.gif

Uma diva, meus senhores! 

 photo man_zps989a72a6.png




  Pesquisar no Blog