Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe e um "pas de deux"

rabiscado pela Gaffe, em 03.03.17
 
.Há uma expressão francesa que me agrada imenso:

 

Entre le chien et le loup

 

É crepuscular. Define o período de tempo em que a tarde declina, resistindo ao avanço da noite. Dura alguns minutos e torna os gatos menos coloridos e pardos os olhos das ruivas.

Se esmagarmos o tempo de duração deste momento, o contido na expressão é ajustado às mulheres inteligentes, aquando das suas incursões pelas savanas das avenidas.

 

Há um espaço ínfimo, uns segundos imprescindíveis, um bater de garra recolhida, no instante em que elas percebem que podem atacar a jugular dos outros.

É indispensável que a vítima não tenha a mínima noção do decurso do instante. É necessário que não entenda que a ternura, o canino enternecimento, a macia mansidão, brandura, benigno olhar em suavidade emersa, é já lampejo cru de sanguinária fera.

 

Não há nada melhor e de eficácia garantida do que armadilhar a tarde que vai ganhando sombras.

 

Foto - Crepúsculo dos Deuses - Billy Wilder, 1950

 photo man_zps989a72a6.png


20 rabiscos

Imagem de perfil

De Corvo a 03.03.2017 às 15:17

Por alguma razão a beleza da eficiência predatória está associada a nomes femininos.
A pantera, a onça, a chita, a águia, a aranha.
A suavidade romântica da presa que não se debate como se a morte fosse um deleite.
Imagem de perfil

De Gaffe a 03.03.2017 às 15:23

É curioso. Não tinha pensado nisso, mas tinha percebido que existem mortes deleitosas.
:)
Imagem de perfil

De Corvo a 03.03.2017 às 16:28

Existem, ou pelo menos levam a acreditar que sim.
Na verdade nunca tinha pensado nisso, mas para quem como eu teve o privilégio de ver o predador na savana exercer a sua arte, o seu texto espoletou-me a clarividência.
É muito diferente ver o leão selvática e sanguinariamente estraçalhar a presa por comparabilidade com a delicadeza e suavidade com que a pantera ou a chita o faz.
Quase como que um deleite harmonioso de consentimento entre a presa e a predadora.
Um excelente fim-de-semana para si.
Imagem de perfil

De Gaffe a 03.03.2017 às 16:56

Só prova que desperto muito clareza em quem me lê.
:)))
Imagem de perfil

De Corvo a 03.03.2017 às 17:10

E ódio e despeito.
Não se esqueça disso que é muito importante.
:)
Imagem de perfil

De Gaffe a 03.03.2017 às 18:12

Será importante?

Sabe, meu caro Corvo, sempre considerei o despeito, a mesquinhez, o ódio raquítico e todas as características que lhes estão apensas, como pertença única daqueles carácteres que são como pratos rasos e largos. Podem conter quase qualquer coisa, mas à menor dissonância tombam a sopa na lapela do casaco de alguém.
Imagem de perfil

De Corvo a 03.03.2017 às 18:36

É isso.
Além de que todo o real valor de uma pessoa não se mede pela auto-proclamação, mas sim pelo despeito que à insignificância provoca.
Imagem de perfil

De Gaffe a 03.03.2017 às 20:42

Sábias palavras.
No entanto, penso que o despeito é também o reflexo de uma admiração sublimada, escondida e muitas vezes inconsciente. Não podemos esquecer que a origem da raiva é por vezes o deslumbre perante o inatingível.
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 03.03.2017 às 19:46

Se o post é fatal, este comentário, muito mais.

Bom fim-de-semana, Gaffe.

Imagem de perfil

De Gaffe a 03.03.2017 às 20:43

:)
Bom fim-de-semana.
*
Imagem de perfil

De Kalila a 03.03.2017 às 21:21

O dia fica sempre indeciso se quer ou não ser noite. A suavidade do crepúsculo, lusco-fusco ou chien-loup é só indecisão do dia de se tornar ou não pardacento e misterioso. Acaba sempre por se tornar mesmo sem a ajuda dos deuses, só com o nosso deleite...
(aquela "dedeira fumadora" é uma delícia!)
Imagem de perfil

De Gaffe a 03.03.2017 às 22:04

É esse instante que pode - talvez possa - defenir uma mulher.
:)
"O Crepúsculo dos Deuses" é um filme extraordinário.
Imagem de perfil

De Kalila a 03.03.2017 às 22:13

É "o" dia e "a" noite. No meio está a virtude .
Imagem de perfil

De Gaffe a 03.03.2017 às 23:31

E "O pecado mora ao lado".
:)
Imagem de perfil

De Kalila a 03.03.2017 às 23:54

Dancemos o último tango, cantemos Piaf e sejamos Amelies.
Imagem de perfil

De Gaffe a 06.03.2017 às 09:27

Sejamos um Tango ou Piaf.
Amelie, com reservas...
Imagem de perfil

De Kalila a 06.03.2017 às 14:14

Claro que Amelie não tem "la finesse" que caracteriza estas avenidas, também o último tango, se for em Paris, será num "quartier" só de "ruelles". Os três filmes só quiseram ilustrar em hipótese o que fazer ao crepúsculo.
(ainda não vi o da Piaf, só alguns excertos, mas parece-me perfeito)
Imagem de perfil

De Gaffe a 06.03.2017 às 16:07

Só vi os dois primeiros.
Gostei muito do "O último tango em Paris", mas eu sou doida por Brando (mesmo o Brando gordo e envelhecido).
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 03.03.2017 às 21:37

(Vou "escangalhar" a beleza do que escreveste mas é propositado)

Há um jovem que considera esse período de tempo , em que já não é dia mas também ainda não é noite, como "lusco-fusco".
Observa só e diverte-te:

https://www.youtube.com/watch?v=T6IN4Rwy_zQ

:))))))
Imagem de perfil

De Gaffe a 03.03.2017 às 22:02

Só enriquecesteo que escrevi!
:
Eu conhecia o "episódio" e podes não acreditar, mas conheço - de vista - alguns destes "empreendedores".
RAP em todo o seu esplendor.
:)))

Comentar post




Por força maior, os V. comentários podem ficar sem resposta imediata. Grata pela Vossa presença.


  Pesquisar no Blog