Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe conspiradora

rabiscado pela Gaffe, em 07.09.15

Pat Chappatte.jpg

Nunca resiste a uma teoria da conspiração bem engendrada e, exactamente por isso, ouço com alguma atenção a torrente de argumentos que provam que o mais recente tsunami que assola a Europa, composto de miséria e desespero, é consequência da estratégia jihadista que cumpre o prometido, invadindo o velho e decadente continente com as armas mais inconscientes e trágicas que encontrou.

 

A proveniência dos migrantes; a simultaneidade da chegada de populações inteiras dos vários locais dominados pelo jihadistas, pelo Estado Islâmico, num aparentemente curto espaço de tempo; as rotas comuns - que incluem a do Árctico, atravessando a Rússia e entrando na Europa pela desprotegida Finlândia - e a supostamente evidente existência de guias devidamente treinados que empurrem, que continuem a empurrar, os rebanhos da desgraça, são disso indícios.

 

Existe, de acordo com a teoria, uma estratégia sinistra nesta brutal migração que vai fazer colapsar mais depressa a Europa revelando a insensatez, a degradação, a falta de humanismo e de humanidade; que explora a epidérmica hipocrisia dos governos e das gentes invadidas; que contribui para o inquebrável individualismo de cada país que tenta escapar ao suplício e para a inenarrável apetência para o voyeurismo ilibado de cada um que de repente descobre o seu próprio e caseiro pobrezinho.

 

Não sei e, desta vez, deixo de ouvir.

 

Considero, no entanto, horrendo que cadeias de televisão, centenas de fotógrafos, centenas de repórteres, centenas de jornalistas, esperem na praia, reduzida a um corpo de uma criança, poder captar e exibir até à exaustão encarniçada a melhor imagem, o melhor ângulo, a melhor onda que empurra o tempo para longe do urgente e imediato choro colectivo recolhido, apenas porque a dor é fotogénica.

 

O tempo que o corpo da criança esperou naquela praia que se saciassem os clicks da informação é a mais evidente prova da ineficácia da Europa perante a avassaladora maré de tragédia que a assola.  

 photo man_zps989a72a6.png


18 rabiscos

Imagem de perfil

De Corvo a 07.09.2015 às 18:29

Pode ser, Gaffe; a mais evidente prova de ineficácia da Europa… para um problema que não criou.
Agora os refugiados estão chegando à Europa, que os países árabes mais ricos não quiseram receber, como o Kuwait, Dubai, Arábia Saudita, o que obriga a Europa a ser eficaz.
Entretanto e no que a nós concerne, cá continuamos com as penhoras e consequente desalojamento às famílias que não conseguem pagar o IMI, as cantinas escolares sem dinheiro para os alunos mais desfavorecidos, sem assistência médica e nem poder de compra para os medicamentos por mais de 65% população carenciada, com as ruas repletas de mendigos de mão estendida e embelezadas com os caixotes de papelão dos sem abrigo, com aproximadamente 60% da juventude licenciada a trabalhar nas caixas dos supermercados, sendo que a restante 40% nem isso consegue.


Imagem de perfil

De Gaffe a 07.09.2015 às 19:08

Não sei se a Europa é alheia a ambas as desventuras.
Sou demasiado ignorante, confesso.
Imagem de perfil

De Corvo a 07.09.2015 às 19:44

Sabe bem que não é.
Deixo-lhe isto, caso ainda não tenha lido.
http://expresso.sapo.pt/opiniao/opiniao_clara_ferreira_alves/2015-09-04-As-lagrimas-de-crocodilo
Sabe o que realmente me assustou um pouco? E nem sou de me assustar muito, tomar conhecimento com aquilo que já suspeitava. O reforço da extrema direita na Europa.
É que não vejo outro caminho.
Também, à parte o que a jornalista refere sobre a madame Angela, esta também é uma oportunidade de ouro para uma Alemanha que sempre pugnou por isso..
Imagem de perfil

De Gaffe a 07.09.2015 às 21:29

Subscrevo tudo o que CFA escreveu.

Imagem de perfil

De Fatia Mor a 07.09.2015 às 20:24

É um tema sobre o qual tenho, intencionalmente, evitado realizar qualquer observação.
A dignidade humana e a indignidade da morte parecem-me andar confundidas nestas partilhas incessantes daquilo que é um acontecimento que qualquer pais jamais quer alvitrar!
O choque e o horror andam lado-a-lado com as teorias da conspiração e o terrorismo na sua vertente mais pura: a inspiração do medo.
Prefiro morrer a viver com medo. E ser a desumana. Ainda assim, confesso-me incapaz de compreender o fenómeno e dele falar. Remeto-me ao silêncio, porque em boca fechada não entra mosca, nem sai asneira.
Mas gostei muito de te ler!
Imagem de perfil

De Gaffe a 07.09.2015 às 21:24

Saiu asneira, mas não consegui ficar calada perante a brutalidade reveladora da "espera" da melhor fotografia.
Do resto da tragédia, não sei falar.
Imagem de perfil

De Fatia Mor a 07.09.2015 às 21:30

Não saiu asneira. Mas é difícil compreender onde estão os limites.
Imagem de perfil

De Gaffe a 07.09.2015 às 21:34

Há limites neste caso? Há fronteiras.
Imagem de perfil

De Corvo a 07.09.2015 às 22:07

Não, não há.
Tudo quanto seja caos e destruição, para o homem nunca há limites e peca sempre por insuficiente.
A primeira coisa que o macaco recentemente erguido fez ao se aperceber que uma pedra era uma arma letal, foi quebrar o crânio ao companheiro desprevenido para lhe roubar a comida.
Imagem de perfil

De Gaffe a 07.09.2015 às 22:12

Creio que alguns ainda sentem a pedrada enquanto outros continuam a empunhar a pedra.
Imagem de perfil

De Luís Veríssimo a 08.09.2015 às 12:36

Estamos a assistir (ao vivo e em directo) a uma dos maiores êxodos da nossa História recente.
Imagem de perfil

De Gaffe a 08.09.2015 às 13:14

Historicamente os êxodos nunca tiveram consequências felizes.
Imagem de perfil

De Luís Veríssimo a 08.09.2015 às 14:18

Com este não será diferente...
Imagem de perfil

De Gaffe a 08.09.2015 às 16:45

Não me assuste mais do que já estou.
Sem imagem de perfil

De eduardo a 08.09.2015 às 15:13

quando a tragédia é mais flagrante há os suspeitos do costume como protagonistas e figurantes
as opiniões essas não diferem de comentários a situações que se repetem volta e meia
metaforicamente é o comboio fantasma como atração principal da feira popular que empolado como bolha se tenta enfiar no parque mayer à espera que cicatrize por obra e graça do espírito santo esse banco de sangue que se diz caixa de esmolas a fundo perdido
a fogueira das vaidades arde airosa num ecrã de smartphone à medida de cada sentença cabeçuda
o pulitzer perfeito versão spam
Imagem de perfil

De Gaffe a 08.09.2015 às 16:44

O menino é tão complicado, às vezes!

Mas talvez seja por isso que me fascina.
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 10.09.2015 às 21:42


Temo "a invasão".

Imagem de perfil

De Gaffe a 11.09.2015 às 09:20

Creio que a tememos todos. Isso é inquietante.

Comentar post





  Pesquisar no Blog