Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe cronista social

rabiscado pela Gaffe, em 05.09.16

cronista social.gif

 

A Gaffe não resistiu e espreitou, seguindo links por aí fora, os chamados cronistas sociais portugueses.

Há bastante mais do seria de esperar, mas todos enfiadinhos no formigueiro dos acéfalos - nicho a que a Gaffe pertence por afinidade.

 

Depois de ter lido umas balelas no primeiro, a Gaffe decidiu investigar os outros. Tudo muito científico.
Nunca se espantou tanto. Nunca na sua vida inteira pensou encontrar gente tão microscópica.
As coisas que a Gaffe leu, impossíveis de transcrever - mas até lisonjeiras, porque a fazem acreditar que há por aí gente bem pior do que ela, - levam-na a pensar que dentro daquilo o José Castelo-Branco consegue ser uma criatura engraçada e capaz de aguentar o boneco que criou com algum sentido de humor e mesmo uma dose de inteligência significativa.


A pobreza circular deste universo é angustiante e esmaga qualquer hipótese de arrancar dali a mais ínfima partícula de bom senso e de bom-tom.
Não são para lamentar. Ultrapassam o limite que a mais básica das inteligências traçou para o lamento e para a piedade. A Gaffe nem sabe se é possível deixá-los ali, a espernear colados aos trilhos ranhosos que acabam por criar ou se nestes casos é aconselhável a condenação imediata e envio dos tipos para uma prisão mexicana repleta de marmanjos trogloditas obcecados e com vícios bestiais, por crimes de lesa-inteligência.


O que lhe causou o maior espanto, daqueles que fazem uma rapariga abrir a boca e pensar que nunca mais a vai poder fechar, foi o facto de todos, mas todos, se levarem a sério; de todos acreditarem piamente que existem; de todos pensarem que aquilo tem ponta por onde se pegar.

A Gaffe não devia  - não devia mesmo, - mas de quando em vez fica palerma e vai por aí fora sem nenhum juízo. Acaba a marcar passo e a coscuvilhar porcaria com a sensação de que se vai transformar em côdea. Para além do colchão, deve ter uma costelinha masoquista a puxar para baixo.


Depois, é claro, quando mexemos em lixo açucarado não nos podemos queixar que as moscas picam ou que as formigas invadiram o nosso rodapé.

 photo man_zps989a72a6.png


9 rabiscos

Imagem de perfil

De Gaffe a 09.09.2016 às 18:37

Em Portugal não existe gente famosa, minha querida. Existem saldos.
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 09.09.2016 às 20:58


Ahahahahah! Boa resposta!

Comentar post





  Pesquisar no Blog

Gui