Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe d'O

rabiscado pela Gaffe, em 19.01.17
 

michele Obama.jpg

A polémica foi medíocre, mas acabou por despertar a nossa atenção.


Michelle Obama.


Independentemente da sua tão invocada elegância, discutível como é normal, porque a noção de elegância é de tal forma subjectiva que a atribuição do estatuto é contestável, a senhora Obama assustava um pouco.
Dizem as más-línguas, que como sabemos são demasiado interessantes e interesseiras para nos podermos dar ao luxo de as ignorar, que esta mulher foi uma primeira-dama reservada, seca no trato, prepotente e dominadora.


Seja.


O facto de parte do mundo cor-de-rosa a ter começado a tratar por Michelle O, por analogia com outra O, não há motivo ou razão lógica para a aproximar da famigerada e elegantíssima Jackie.
Michelle foi e é incontestavelmente diferente.
Não teve como é evidente o allure francês que foi mantido durante toda a vida pela Kennedy-Onassis mas em contrapartida manteve um gabinete seu - muito capaz e de importância capital -, na Casa Branca.


Entre uma elegância compulsivamente consumista, uma fotogénica oscilação entre a depressão e a discreta euforia própria dos neuróticos bem controlados, e uma elegância que advém da notória inteligência de quem acompanha, impulsiona, fortalece e até mesmo substitui o seu Presidente, nós, raparigas espertas, por muito que nos custe, escolhemos a segunda, mesmo que isso assuste os cor-de-rosa pouco habituados a ver o topo do mundo ocupado por uma mulher de cores diferentes.

 photo man_zps989a72a6.png

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 rabisco

Sem imagem de perfil

De Mª G. a 21.01.2017 às 13:57

Michelle Obama, não é uma estampa de beleza.
Mas é uma mulher inteligente e com conteúdo, que foi mais que uma peça decorativa no seu papel como 1ª dama.
Se tem ou não esses traços de personalidade que lhe atribuem, é neste contexto irrelevante.
Nunca achei a Jakeline bonita, muito pelo contrário era feia que doía.
Sabia era encadernar-se bem.
E depois aquela trágica morte do Kennedy, ajudou tanto ao boneco.
Se não fosse o apetite desmesurado que tinha por dinheiro, que a levou a casar com o Onassis, ainda era santificada.
Olhem se acontecer o mesmo ao Pato (Donald) Trampas a Melania vira mito.




Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



foto do autor