Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe do IEFP

rabiscado pela Gaffe, em 24.11.14

IEFP.gifRecém-licenciado em Ciências Farmacêuticas, um querido amigo enviou CV para uma imensidão de possíveis empregadores.

Teve resposta de quatro, que se prontificaram a entrevistá-lo.

Antes de mais devo referir que o rapaz em causa, para além de claramente competente, é altíssimo, espadaúdo, elegante, com olhos de gazela cor de avelã (os olhos e a gazela), corpo de linho, lábios de mosto, cabelo atravessado por estradas de oiro, rosto com linhas de fazer roer de inveja Brad Pitt e com uma atitude absolutamente vencedora.

Quer se queira, quer não e por muito injusto que seja, conta muitíssimo.

É quase um milagre, tendo em conta o charco onde tentamos esbracejar para não nos diluirmos em desespero e frustração, que este homem, ao fim de cerca de três meses, tenha tido a hipótese de escolher uma entre quatro ofertas de trabalho.

Escolheu Lisboa.

A farmácia contratante vai incluí-o no âmbito dos Estágios Profissionais, embora em condições francamente superiores às habituais que rasam a mais completa exploração laboral patrocinada de forma imbecil pelo Estado que fomenta desta forma o enviesar das estatísticas relacionadas como o desemprego ao mesmo tempo que facilita o miserável uso e abuso dos jovens licenciados por parte dos empregadores que lhes pagam mal e os vão substituindo por quem se segue na lista. Uma infinidade de oportunidades de poupança. Uma infinita sucessão de descartáveis.

Para obedecer às regras, o farmacêutico teve de se inscrever no IEFP para que fosse possível ser abrangido pelo programa Estágio Profissional.

Conhecendo a demora habitual dos acéfalos que movimentam este sistema, a Farmácia, por necessidade evidente, acolheu o seu novo funcionário mesmo antes do contrato estar assinado, suportando as despesas por inteiro até à resolução final do IEFP.

O meu querido amigo iniciou as suas funções há cerca de um mês.

Recebeu ontem uma cartinha do IEFP – Porto – convocando-o para frequentar uma Sessão de Informação - Técnicas de procura de emprego.  A sua ausência implica a perda por 90 dias de todos os direitos garantidos pelo IEFP (!?). Teria de se deslocar mais de 300 Km, ausentando-se do seu recém-conquistado local de trabalho, impossibilitando a sua presença numa acção de formação organizada pela entidade empregadora.

Comunicou a sua indisponibilidade ao IEFP, relatando a situação. 

- Mas não pode estar a trabalhar!!! É obrigado a aguardar aprovação do IEFP para iniciar o Estágio Profissional!

Esta autorização leva sempre cerca de três meses a ser assinada do IEFP.

A Farmácia vai ter que resolver o problema, embora a data da sessão tenha sido adiada por quinze dias.

Corre o risco de perder aquilo o que o IEFP está longe de ser capaz de entender, apoiar ou promover.  

 

Ou o IEFP tem poucos interessados nas suas sessões informativas e quer ver a casa cheia ou é mais um arrastado mastodonte invertebrado que se alimenta do próprio muco.

Estou mais inclinada para a 2ª hipótese.

 photo man_zps989a72a6.png




Por força maior, os V. comentários podem ficar sem resposta imediata. Grata pela Vossa presença.


  Pesquisar no Blog