Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe do naperon

rabiscado pela Gaffe, em 10.04.15

naperon.jpgA Gaffe fica bastante surpreendida com o chinfrim provocado por blogs que se dedicam a publicitar de forma clara ou encapotada determinados produtos recebendo em troca benesses simpáticas. Não entende também a indignação motivada pela descoberta da existência de uma equipa que orienta e administra um blog que abandonou o conceito tradicional destes recantos para se transformar numa página onde é possível alugar espaço para publicidade.

Não é de todo condenável que determinadas marcas considerem proveitoso usar um blog com visibilidade como veículo de disseminação, assim como não aceitável originar uma revolta cibernética por haver gente que aceita a proposta e que se preocupa em cumprir o que lhe é exigido com o apoio de outros profissionais.

 

Esta, chamemos-lhe assim para não maçar, flexibilidade funcional, característica dos blogs, é de louvar. É tão maleável como os intervalos do telejornal do canal 1 e não nos imobiliza o dedinho que controla o comando da TV ou o ratinho do PC.

 

A Gaffe confessa que assiste pacificamente à proliferação e ao sucesso deste tipo de estratégia empresarial que tem em conta o valor de um toque pessoal, de um leve sabor a intimidade partilhada, de uma boa dose de empatia caseirinha e de uma cumplicidade bastante interactiva com o consumidor, para nos fazer esbardalhar contra os produtos que quer vender.   

 

Não são ofensivos e não são de sujeitar ao tribunal da inquisição que trazemos sempre dentro. 

   

São os blogs naperon.  

Alguns até são giros!

Os donos colocam em cima o que acham por bem e nós só olhamos para eles se quisermos.

 photo man_zps989a72a6.png


2 rabiscos

Imagem de perfil

De Alice Alfazema a 10.04.2015 às 20:50

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





  Pesquisar no Blog

Gui