Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe dos labirintos

rabiscado pela Gaffe, em 04.03.19

labirinto.gif

Voltemos a ler, pois que é imprescindível que tomemos consciência dos labirintos que de tão primários se tornam apenas sucessivos becos sem saída.   


 (…)

O adultério da mulher é uma conduta que a sociedade sempre condenou e condena fortemente (e são as mulheres honestas as primeiras a estigmatizar as adúlteras) e por isso vê com alguma compreensão a violência exercida pelo homem traído, vexado e humilhado pela mulher.

(…)

 Uma mulher adúltera é uma pessoa dissimulada, falsa, hipócrita, desleal, que mente, engana, finge. Enfim, carece de probidade moral.

(…)

Não surpreende que recorra ao embuste, à farsa, à mentira para esconder a sua deslealdade e isso pode passar pela imputação ao marido ou ao companheiro de maus tratos.

(…)

 

Ricardo Serrano Vieira, advogado de Neto de Moura - que se acaba de citar - e seu eventual defensor nos casos em que as opiniões surgidas de quase todos os cantos e esquinas relativas aos acórdãos do juiz, foram consideradas ofensas e atentados à dignidade e ao bom nome do seu produtor, comenta, no dia 01 de Abril de 2018 - no século XXI, portanto - uma crítica faceboquiana da esposa a uma iniciativa - mais ou menos totó - das Capazes, com uma opinião absolutamente imaculada:

 

- Lambedoras de cri… dá nisto.

 

A senhora sua mulher considerou o comentário do senhor seu marido merecedor de um emoji sorridente.

 

Há labirintos que são becos sem saída. Às vezes aquilo que se encontra nos caminhos é apenas a forma de os fechar e de acompanhar os que por lá se perdem. 

 photo man_zps989a72a6.png


2 rabiscos

Imagem de perfil

De Corvo a 06.03.2019 às 17:01

Sabe, Gaffe.
De há muito sei, embora por vezes me questionasse se, eventualmente, a menor instrução não proporcionasse maior visibilidade ao embrutecimento, mas a imaculada prelecção justificativa do digno causídico defensor, betonou-me as certezas.
A única diferença separadora entre o homem da lei e o criminoso, é o lado de que se encontra das grades.
Imagem de perfil

De Gaffe a 06.03.2019 às 19:14

Como aprendemos, nada é sólido. As certezas que temos são voláteis.
Às vezes o problema é saber distinguir o criminoso daquele que o deveria punir.

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





  Pesquisar no Blog

Gui