Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe dos moluscos

rabiscado pela Gaffe, em 31.03.15

brassai.jpgA Gaffe foi apresentada a um senhor muito respeitável que lhe apertou a mão com uma amenidade extremada.

O senhor tem um sorriso pálido, mas é bonito, atraente e de alto e bom som. Elegante no seu fato azul de seda musculada. A Gaffe percebeu o subtil alvoroço feminino a emergir quando ele entrou.

O senhor estendeu o tentáculo.

Os dedinhos finos e frios tocaram na pele desta rapariga que sentiu a textura de um molusco húmido e escorregadio a roçar-lhe a palma da mão.

O contacto foi brando e breve, quase nada. Um roçagar, um leve fluir de corpo frio de bicho morto e esfolado.

A mão do senhor recolheu-se mole mergulhando nos confins lodosos do escuro do bolso.

A Gaffe ficou a pensar em como deve ser nauseante ser beijada por este senhor. Percebeu então que o beijo de um homem começa nas mãos. São elas que prendem e empurram as cordas que agarram o baloiço das bocas. 

 

Foto - Brassaï

 photo man_zps989a72a6.png


13 rabiscos

Sem imagem de perfil

De C. a 31.03.2015 às 12:49

A menina inspirou-se no doodle de hoje para a fotografia?
Concordo com a sua apreciação, mas não pode, às vezes, quiçá, a frouxidão do apertar, ser medo de magoar as donzelas?
Imagem de perfil

De Gaffe a 31.03.2015 às 13:46

A frouxidão dos cavalheiros é aquilo que mais magoa as donzelas.

Sem imagem de perfil

De C. a 31.03.2015 às 13:59

Deixou-me ko, com essa resposta :)
Imagem de perfil

De Gaffe a 31.03.2015 às 14:08

Aposto que estava à espera dela.
:)*
Sem imagem de perfil

De C. a 31.03.2015 às 14:18

De si, espero sempre boa disposição e algumas gargalhadas :)
Sem imagem de perfil

De Maria Moura a 31.03.2015 às 14:50

Nunca tinha pensado nisso porque raramente apertamos mãos a não ser em situações profissionais. Mas como me faz todo o sentido e porque de igual modo me repugna um aperto de mão frouxo, cá nada de cumprimentos com beijinhos doravante. Muito agradecida Gaffe.
Imagem de perfil

De Gaffe a 31.03.2015 às 15:22

Estou sempre às ordens.
;)
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 31.03.2015 às 14:59


"Percebeu então que o beijo de um homem começa nas mãos. São elas que prendem e empurram as cordas que agarram o baloiço das bocas. "

Odeio apertos de mão frouxos, faz-me algum nojo e, por mais charmosa que seja a pessoa, deita tudo por terra o que idealizo no momento. Logo eu que sou apaixonada por beijos intensos,braços que enlaçam e mãos que tacteiam...
Mas também, e são raros, detesto um aperto de mão forte, que magoam.
Imagem de perfil

De Gaffe a 31.03.2015 às 15:21

Os extremos tocam-se.
Imagem de perfil

De M.J. a 31.03.2015 às 15:29

são sempre os mais felinos, mais maneirosos, com voz mais baixinha e ar pachorrento que me aparecem em apertos de mão de polvo morto.
Imagem de perfil

De Gaffe a 31.03.2015 às 16:28

Há também os barrigudos e leitosos.
Há também mulheres... mas essas arrepiam-me.
Sem imagem de perfil

De eduardo a 31.03.2015 às 16:01

boa ideia, as duas últimas sentenças.
no entanto, nem todos os baloiços de ancas e peitaças são merecedores de mãos e bocas honestas, quanto mais as que se oferecem fortes e delicadas em uníssono.
isso sim, um carrossel*.

engenho para divertimento, que põe em movimento, em torno de um eixo, veículos ou animais figurados em que se sentam ou apoiam pessoas; roda de cavalinhos (via infopédia, porto editora)
Imagem de perfil

De Gaffe a 31.03.2015 às 16:05

Acabamos sempre por reconhecer o carrossel que escolhemos.

O dicionário tem sempre razão e acaba o descrito por ser a metáfora de um beijo.

Comentar post





  Pesquisar no Blog

Gui