Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe dos moluscos

rabiscado pela Gaffe, em 31.03.15

brassai.jpgA Gaffe foi apresentada a um senhor muito respeitável que lhe apertou a mão com uma amenidade extremada.

O senhor tem um sorriso pálido, mas é bonito, atraente e de alto e bom som. Elegante no seu fato azul de seda musculada. A Gaffe percebeu o subtil alvoroço feminino a emergir quando ele entrou.

O senhor estendeu o tentáculo.

Os dedinhos finos e frios tocaram na pele desta rapariga que sentiu a textura de um molusco húmido e escorregadio a roçar-lhe a palma da mão.

O contacto foi brando e breve, quase nada. Um roçagar, um leve fluir de corpo frio de bicho morto e esfolado.

A mão do senhor recolheu-se mole mergulhando nos confins lodosos do escuro do bolso.

A Gaffe ficou a pensar em como deve ser nauseante ser beijada por este senhor. Percebeu então que o beijo de um homem começa nas mãos. São elas que prendem e empurram as cordas que agarram o baloiço das bocas. 

 

Foto - Brassaï

 photo man_zps989a72a6.png


1 rabisco

Sem imagem de perfil

De eduardo a 31.03.2015 às 16:01

boa ideia, as duas últimas sentenças.
no entanto, nem todos os baloiços de ancas e peitaças são merecedores de mãos e bocas honestas, quanto mais as que se oferecem fortes e delicadas em uníssono.
isso sim, um carrossel*.

engenho para divertimento, que põe em movimento, em torno de um eixo, veículos ou animais figurados em que se sentam ou apoiam pessoas; roda de cavalinhos (via infopédia, porto editora)

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





  Pesquisar no Blog

Gui