Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe e as escritas

rabiscado pela Gaffe, em 20.11.15

J.O..jpg

A quantidade de mulheres que por aqui escrevem de modo tão agradável! Os blogs estão cheios delas e escolher é uma tarefa difícil e sem fim à vista.

 

É interessante como me aborrecem os escritos dos homens, principalmente os que me falam de política ou fazem complicadíssimas análises do que se vai passando. Entediam-me sobretudo aqueles que dissertam - ainda! - sobre os recentes atentados de esquerda à democracia e os que fazem rebuscadas análises literárias. Estes últimos dão sempre a sensação que não retiraram prazer nenhum do que leram, preocupados que estavam em encontrar os recursos linguísticos que foram usados pelo autor. Na grande maioria são homens. As mulheres que leio são mais intimistas. Mais reservadas. O quotidiano é sempre filtrado por uma visão bastante límpida, com um pudor harmonioso nas palavras. São discretas e, na maior parte das vezes, muito claras.


Não acredito na escrita no feminino ou escrita feminina, como lhe queiram chamar, como também não acredito em bruxas, mas que há à flor da net um timbre de mulher, isso é inegável. Orgulho-me disso. Leio com muitíssimo maior prazer o que é escrito por uma mulher. Esta minha atracção, muito mais que feminista, se é que alguma vez o foi, é quase lésbica. Sou uma lésbica literária. Os homens escreventes, donos de blogs elaboradíssimos, a abarrotar de pensamento e ideia, provocam-me uma espécie de morrinha que, como toda a gente sabe, é uma antítese da excitação. Tenho a impressão que na cama, na hora da verdade, sacam do bloquinho, do bloguinho, e começam a dissecar o que nunca aconteceu nem, pelo andar da caneta, vai acontecer. Ao ler as mulheres que escolhi para ler, apetece-me sempre meter-me na cama com elas, ficarmos ali muito quentinhas, porque descubro que temos sempre muito para dizer e que aquilo vai durar pela noite fora. Se isto não é lésbico no seu melhor, então sou a Rainha Vitória e nego tudo.

 photo man_zps989a72a6.png


10 rabiscos

Imagem de perfil

De Gaffe a 20.11.2015 às 20:03

Eu sei, meu querido.
Sabe que quando estava a rabiscar isto, me lembrei de si?! o que pensará o meu querido amigo destas tolices?
Sabia que me daria um puxão de orelhas carinhoso, mas corri o risco. Prefiro-o um bocadinho irritado comigo a indiferente.
Imagem de perfil

De Fernando Lopes a 20.11.2015 às 23:03

Não fico irritado consigo nunca, mas sinto-me obrigado a refrear os ímpetos de Beauvoir.
Imagem de perfil

De Gaffe a 21.11.2015 às 19:32

Meu querido Sartre!

Comentar post





  Pesquisar no Blog

Gui