Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe indiferente

rabiscado pela Gaffe, em 25.05.16

indiferente.jpg

A indiferença constrói-se demasiadas vezes com a ausência de palavras.

É um animalzinho açucarado preso no lugar mais negro da mais comezinha das simulações de felicidade. Limita-se calado a roer as sílabas da vida do hospedeiro, esgotando as razões do que havia para dizer.

Indiferentes, deixamos vagos os lugares do sentir. Deixamos de ter labirintos. Somos um fio, uma recta inútil traçada por uma barra de carvão que suja os dedos e nos deixa fixos na impossibilidade do encontro.

Na indiferença tudo é desencontro.

 photo man_zps989a72a6.png


2 rabiscos

Imagem de perfil

De Corvo a 25.05.2016 às 23:43

Hum! Mas eu penso que a Belle Demoiselle não se referia propriamente a essa indiferença momentânea, passageira e silenciosa convenientemente aproveitada, depois de devidamente elaborada a fim de desfrutar desses doces momentos de silencioso prazer contemplativo, e sim referia-se a outra mais profunda, amarga, aquela que perdura quando os sentimentos se esvaziaram.
Imagem de perfil

De Gaffe a 26.05.2016 às 00:19

Exactamente, meu querido. Exactamente.
Não é rara. Às vezes torna-se uma velha amiga capaz paradoxalmente de impedir que nos tornemos indiferentes.

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.





  Pesquisar no Blog

Gui