Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe nos blogs

rabiscado pela Gaffe, em 12.05.14

A Gaffe leu ontem um artigo relativamente bem conseguido sobre blogsbloggers e o significado destas duas entidades, suas implicações e abrangências.

 

Não vai maçar-se a comentar tudo o que foi escrito (estivessem atentos às edições de carácter cultural que ainda sobram neste deserto). Salienta um ou outro ponto que considerou interessante e mais fresquinho.

O artigo declara a certo ponto:

 

1 - Falamos de um blog quando este é actualizado duas a três vezes por dia. Falamos de outra coisa qualquer se isso não acontece.

 

2 - Os blogs diaristas não conseguem a densidade e a notoriedade dos temáticos – sobretudo dos políticos ou dos culinários.

 

3 - Um blogger, para manter a sua página aceitável, tem de se documentar acerca do que escreve.

 

É deprimente a Gaffe perceber que as suas avenidas não encaixam totalmente nestas premissas. São actualizadas de forma regular, talvez não tão constante como manda a norma, mas são espécie mutante que se pode enfiar no grupo dos diaristas e a documentação que usa é a que se vê.

 

Esta coisa dos blogs vicia e aproxima-se muito das mesas dos antigos cafés onde se reuniam os amigos. Já há poucos desses por estes lados e a Gaffe pensa que os blogs provavelmente ocupam o lugar da tertúlia desaparecida, mas muito aconchegada, do antigamente e que talvez consigam um dia conferenciar no Casino, tendo em conta a troca de mimos que a Gaffe vai encontrando aqui e ali. Nas tertúlias, tal como nos blogs, normalmente fala-se de tudo, escutando demasiado pouco ou mesmo sem se ouvir o que quer que seja.

 

O certo é que a Gaffe se vai habituando a meia dúzia de pessoas que com ela trocam galhardetes e acaba por sentir a falta delas quando não poisam por cá. É interessante verificar também como é fácil despertar a curiosidade (mesmo a mórbida) quando passa um estranho qualquer. Lá vamos desgrenhados investigar o comentador que atravessou as nossas avenidas.

 

De acordo com as estatísticas que a Gaffe consegue ler no interior deste blog, o número das suas visitas é exíguo, mas mesmo assim considerável tendo em conta o conteúdo do que se vai postando aqui.

Não é que lhe cause grande transtorno o deserto. Há bastante tempo que está mais ou menos habituada a que ninguém a leia e ainda mais a que ninguém a ouça, mas a verdade é que batendo contra as estatísticas, a Gaffe fica a pensar se o conhecimento da nulidade que somos, o embate com a nudez que tantas vezes mascaramos ou de que tantas vezes fugimos, não nos fornece a consciência da vacuidade em que se vai tornando a ilusão de sermos ou as fantasias que cultivamos acreditando que temos voz, ainda que sem olhos.

 

Mas é sol de pouca dura

 

Passados instantes, a Gaffe sacode os caracóis indiferentes tornando-os incêndios mudos ateados pelo dito.

 photo man_zps989a72a6.png


15 rabiscos

Sem imagem de perfil

De 7+3 a 12.05.2014 às 21:45

A "Ruivita" nem faz a ideia (ou faz..) o que o esforço que tenho de fazer para não escrever muita coisa, mas não posso, não posso porque não consigo, raras são as historias que não envolvem "outros",
uns são bem conhecidos outros são anónimos ( desde a irmã dum Rei, ao "maior dos pelintras" ) há de tudo .. , alguns seria desagradável sem o consentimento ( a maior parte nunca o daria) é gente que hoje tem família uns estão no governo outros já la passaram, uns honestos outros altamente corruptos...
Não pense que ao contar certas histórias.. algumas das pessoas que as viveram, ficam imediatamente a saber que é delas que estou a falar mesmo sem escrever nomes.. Não tenho o medo de também saberem imediatamente quem está a escrever.. O meu problema é não prejudicar ninguém, principalmente quem não merece.. nós ao longo da vida não conhecemos só más pessoas, também conhecemos gente extraordinária, alguns até nos ajudaram a tornar no que somos hoje..
A primeira vez que aqui vim fiz um comentário verdadeiro como todos os que fiz só que escrevi o meu nome, há muitas Marias na terra não é? mas às vezes parece que não.. pois recebo o telefonema duma amiga.. (sem coloração) ah sabes ... sei o quê?
lá na empresa "os administradores" estavam a falar de ti.. estavam?
qual era o assunto? ah não era nada de importante era sobre um comentário qualquer sobre o ... que leram na "internet "parece que num blog..
Isto não teve qualquer importância, mas fez me pensar que tenho de ter cuidado no que escrevo ( mesmo agora usando o anonimato)
é que se eu escrevesse ficção tudo bem, mas quando o que conto são factos.. é a minha vida o meu passado .. torna-se complicado ás vezes (muitas vezes) ..
A minha mãe que para mim é uma Santa, não quero que vá alguma
"Tia fedúncia" incomodá-la ..
Deixar-me vir aqui ao seu espaço, escrever algumas tontices já me ajuda imenso.
Veja lá "Ruivita" que já conseguiu ser a minha paixão virtual.
Tenho muitas paixões dou um exemplo a pintura, o pôr do sol.
Mas a "minha" escritora é Ruiva:) *
Ah, tento não ser exagerado, posso é ás vezes falar quando devia estar calado..

Comentar post





  Pesquisar no Blog

Gui