Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe peregrina

rabiscado pela Gaffe, em 22.07.15

9211926-lg.jpgDescubro que há diversos e distintos modos das pessoas que mais amo caminharem comigo. Uma espécie de diz-me como caminhas, dir-te-ei quem és, majorada pelo coração.

 

Esguia, delicada, delgada e subtil, mina avó jamais poderá amaldiçoar as suas inexistentes gorduras, flácidas rotundidades ou circular corpulência, mas a fogueira que insiste em atear nestes passeios tem como único objectivo o calor cúmplice, exclusivo, que se cria entre ambas.

A minha mãe, namoriscando, tomba presa no meu pulso, como uma breve e minúscula pulseira de oiro batida pelo sol.
O meu pai caminha comigo como se eu fosse um alfinete de gravata: dispensável, mas que se quer mostrar, porque se ama.

O meu irmão deixa que me encoste a ele. suspensa nele, envolve-me. Prende-me ao seu corpo como serena trepadeira, mimada, terna e doce. O muro é sólido. Sei que posso deixar que as folhas se espraiem sem medo ou queixume.
A minha irmã leva-me com ela, mas nunca vem comigo.
A minha prima pendura no meu braço o seu corrosivo humor, a sua indomável inquietude e a sua irresistível obstinação e rebeldia e transforma-se na mais aventurosa das cúmplices, na mais destemida e perigosa aliada de caçadas e devassas.  
O rapagão é bem maior do que eu! Caminha comigo e sei sempre onde piso. É como ter um mapa e uma bússola, sextante e astrolábio. Sabemos onde fica a estrela certa.


Mas só o meu avô sabia caminhar sorrindo devagar para a minha vida.  

 photo man_zps989a72a6.png


5 rabiscos

Sem imagem de perfil

De eduardo a 24.07.2015 às 20:20

também sei caminhar e sorrir assim
Imagem de perfil

De Gaffe a 24.07.2015 às 20:46

Então temos um dia de passear.
Sem imagem de perfil

De eduardo a 24.07.2015 às 21:12

então temos pois temos
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 26.07.2015 às 17:26

Quanta segurança o avô lhe dava, quanta a ternura da Gaffe pelo avô!
Imagem de perfil

De Gaffe a 26.07.2015 às 21:13

Ninguém imagina o quanto!

Comentar post





  Pesquisar no Blog

Gui