Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ilustração - Fernando Vicente


A Gaffe relojoeira

rabiscado pela Gaffe, em 16.06.15

Rodney Smith.jpg

Nos pulsos dos homens colocam-se algemas - em situações várias, algumas agradabilíssimas - e relógios.

Convém recordar que não é sustentável andar com o Big-Ben agarrado ao braço. Raros são os que necessitam de cronometrar uma modalidade olímpica e não é obrigatório que o aparelho dispare granadas ou entre em contacto com espiões industriais através de mecanismos complexos que implicam roldanas e rodinhas, botões e ponteirinhos.

As informações acerca do fuso horário que se troca podem ser pedidas amavelmente à comissária de bordo e continua a ser charmoso o modo vintage de acertar horários manualmente.

Portanto, meus queridos, esqueçam as maquinetas potentes, loiras, brilhantes e complexas dos empreiteiros dos Porches e usem e abusem da simplicidade temporal.

Espreitar as horas que passam não implica em simultâneo cronometrar o tempo que se leva a atravessar a rua. Se tiverem de ser atropelados, sê-lo-ão mais depressa se estiverem a tentar vislumbrar o ponteiro certo.

 

Foto - Rodney Smith

 photo man_zps989a72a6.png


14 rabiscos

Imagem de perfil

De Gaffe a 16.06.2015 às 14:55

A verdade é que também gosto muitíssimo de relógios. O meu avô era adepto e o meu irmão herdou a sua "vocação temporal".
:)

Comentar post





  Pesquisar no Blog

Gui